Crimes que ficaram para a História - John F. Kennedy

12:24

Um presidente assassinado e um assassino morto, qual a razão para a morte de JFK, uma morte encomendada? Pessoas mais poderosas que o próprio presidente, com poder para tal? Ou simplesmente alguém que não gostava dos métodos usados por Kennedy? É o que vamos tentar desvendar através dos dados históricos.



O assassinato de John F. Kennedy (1917- 1963), trigésimo-quinto Presidente dos Estados Unidos, ocorreu na sexta-feira, no dia 22 de novembro de 1963, em Dallas, Texas, Estados Unidos. Kennedy foi mortalmente assassinato durante o desfile no automóvel presidencial na Praça Dealey sendo o quarto presidente dos Estados Unidos a ser assassinado, e o oitavo que morreu no exercício do cargo.

Este foi um caso que muito se estipulou na altura muitas foram as teorias da conspiração de forma a querer justificar o que que levou ao assassinado do presidente, até hoje permanece num mistério.

Durante o mandado de Kennedy ficou marcado tanto pelo lado humanitário, desejo por um pais unido e seguro, como também pelo glamour e tradições familiares, mas por outro lado sempre teve envolvido em escândalos, como o que ficou muito famoso, o seu envolvimento com Marilyn Monroe. Muitos viram em Kennedy um ícone da esperança e aspirações americanas, e em algumas pesquisas ainda é valorizado como um dos melhores presidentes da história dos Estados Unidos.
Jackie Kennedy e John F. Kennedy 
Durante o seu discurso de tomada de posse falou da necessidade dos cidadãos americanos em serem mais ativos, marcando isso com uma frase de acabou por ficar famosa: "Não pergunte o que seu país pode fazer por você, pergunte o que pode fazer pelo seu país!" Também pediu as outras nações que unissem contra o que ele chamou de "inimigos comuns do homem": a tirania, doenças, pobreza e a guerra. No final, expandiu o desejo do internacionalismo: "Finalmente, se vocês são cidadãos dos Estados Unidos como se eles estão no mundo, exijam de nós a mesma generosidade de força e sacrifício que pedimos a vocês."

Mas por alguma razão no dia 22 de Novembro de 1963 puseram fim a vida do presidente que marcou a história, este crime ficou marcado  imortalizado por tamanha brutalidade.

A visita de Kennedy ao Texas, foi programada ao segundo e as medidas de segurança não podiam falhar no seu papel em o proteger, mas afinal o que falhou? E qual o real motivo de o terem morto?

Durante a passagem do automóvel pela Praça Dealey, Dallas, Texas, cinco tiros foram ouvidos serem disparados sendo que somente 3 atingiram o presidente, sendo o mais grave e que podemos ver numa filmagem feita por um cidadão, um tiro que acertou a lateral da cabeça fazendo com que essa zona tivesse um buraco de entrada e outro de saída que praticamente explodiu com essa área. Todo foi feito para salvar a vida de Kennedy, mas sem resultado.

E aqui é que começa a parte que deixou muitos a pensarem, a se questionarem do porque de não terem respostas, sobre o que aconteceu  e quem cometeu tamanho crime. Sendo que podia ter sido um crime prevenido, se as medidas de segurança tivessem feito o seu trabalho como deferiam.

Agora vamos analisar o caso.

Segundo as normas de segurança, os serviços secretos tem que acompanhar o carro havendo sempre uma escolta a pé a quando da redução de velocidade ou quando estiver parado, sendo que isto não aconteceu, a escolta foi mandada recuar, deixando o carro desprotegido, mas qual a verdadeira razão por detrás desta ordem?

Na imagem podemos ver que a escolta vai num carro que seguia o carro presidencial em vez de seguirem a pé ao lado do carro
Outras das normas é que todos os edifícios públicos devem manter as janelas fechadas, como medida de prevenção a atentados, sendo que em Dallas, houve um edifício em particular que tinha algumas janelas abertas, sendo que foi nesse edifício onde o atirador se escondeu e disparou sobre Kennedy, numa situação normal os serviços secretos estariam no local para verificar o porque das janelas estarem abertas

Todos sabemos que medidas de segurança na América são de extremo desconfiam de todo e de todos, por isso ninguém consegue entender como estas falhas foram possível, e não podia esquecer foi recusado ajuda de um comandante e sua equipa dos serviços secretos.

O primeiro disparo foi desviado por uma árvore e ricocheteou no cimento, chegando a ferir a testemunha James Tague. 3,5 segundos depois, dá-se o segundo disparo, que chega a Kennedy por trás e sai pela sua garganta, ferindo também o governador do Texas, John Connally. O presidente deixa de saudar o público e a sua esposa o encosta no assento. O terceiro disparo ocorre 8,4 segundos depois do primeiro disparo, precisamente quando o automóvel passava em frente da pérgula John Neely Bryan, feita de cimento. Quando o terceiro disparo atingiu a cabeça de Kennedy, Jaqueleen Kennedy reagiu saltando para a parte traseira do veículo. Clint Hill, agente dos serviços secretos, conseguiu alcançar a mala do carro na tentativa de ajudar o presidente.


Um cidadão de nome Abraham Zapruder, que filmava a comitiva presidencial, conseguiu captar no seu filme o momento em que Kennedy é alcançado pelos disparos. Este filme é parte do material que a Comissão Warren utilizou na sua investigação do assassinato.

Será que realmente foi uma morte encomendada, derivada a forma de governação exercida por John F. Kennedy?
No mapa podemos ver o percurso que o carro estava a fazer e a localização em que o carro estava a quando dos 3 tiros que atingiram Kennedy
A investigação de um crime e a autopsia deveriam ter sido feitas em Dallas local onde o presidente morreu mas por alguma razão isso não foi conforme os padrões normal o corpo de Kennedy foi transferido para Washington, DC, para o Hospital Naval de Bethesda.

Mas uma nova trasladação foi feita em segredo, pois o medico que tinha feito a autopsia teria negligenciado muitas provas e por fim queimado os seu apontamentos, sendo que nesta fase descobriram algo muito bizarro, que teria realizado uma cirurgia ao crânio de Kennedy durante a viagem do Texas para  Washington, mas como teriam feito isso? sendo que o corpo estava a ser guardado por agendes do FBI. Nesta situação muitas foram as declarações contraditórias de como o corpo teria sido transferido, pois a cirurgia feita podia ter eliminado uma prova muito importante, a marca do tiro que levou na cabeça. Mas qual a razão?
Nesta foto tirada ainda em Dallas podemos ver que não houve nenhuma cirurgia ao crânio
Foto tirada ao corpo em Washington, DC
Vários foram os testemunhos, e ate o relatório do FBI que apresentava, varias lacunas e aumentando a tese que alguém mandara matar Kennedy, pois foi preciso uma certa pericia para cortar o crânio expondo assim o osso.

Muitos foram os possíveis suspeito, os Cubanos, os Russos, Nazzis, mas as provas mostravam que quem podia ter feito isto tinha que ser alguém de dentro, alguém de dentro e poderoso.

Fica aqui o documentário onde puderam, saber um pouco mais e ver alguns dos possíveis suspeitos.
O documentário infelizmente esta em inglês, mas quando mais ouvimos mais treinamos.


Duas investigações oficiais concluíram que Lee Harvey Oswald, um empregado do armazém Texas School Book Depository na Praça Dealey, foi o assassino. Uma delas concluiu que Oswald atuou sozinho e outra sugeriu que atuou com pelo menos um cúmplice. O assassinato sempre esteve sujeito a especulações e dúvidas, sendo origem de um grande número de teorias de conspirações.

Lee Harvey Oswald
Lee Harvey Oswald um fuzileiro naval que desertou para a União Soviética e mais tarde regressou ao seu país, Oswald foi preso sob suspeita de ter matado o oficial de polícia J. D. Tippit, sendo posteriormente conectado pelo assassinato de John F. Kennedy. Oswald negou qualquer responsabilidade pelos crimes. Dois dias depois, a 24 de novembro de 1963, enquanto era transferido sob custódia policial foi baleado e morto por Jack Ruby.

Em 1964, a Comissão Warren concluiu que Lee Harvey Oswald agiu sozinho no assassinato do presidente Kennedy, conclusão alcançada posteriormente por investigações do FBI e do Departamento de Polícia de Dallas.
Jack Ruby muito acreditam que foi enviado para silenciar Oswald 
Como podemos ver muito se conta sobre o caso muito foi escondido e só foi contado o que convém, e as suspeitas só se identificaram com o assassinato do principal suspeito, talvez foi a forma usada para entrarem num confronto direito com cuba e com a Rússia.

Na minha opinião foi apenas um louco que pode ter recebido uma boa proposta para matar Kennedy mas ao ser apanhado já não fazia falta e para o calar tinham que o eliminar e com ele morreu a hipótese de obter respostas ao que realmente acontecera.

E qual é a vossa opinião neste caso?
E é tudo por agora PEACE   

Aqui outro documentário que aborda alguns aspectos interessantes ;-) 


You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Like us on Facebook